O Cineteatro de Anadia foi palco, na tarde de 7 de julho, da fase final da décima primeira edição do Concurso Nacional de Leitura. Maria Rita Azevedo, da Escola Secundária Morgado de Mateus, de Vila Real, e Mariana Alves Martins, da Escola Secundária Júlio Dinis, de Ovar, arrecadaram os primeiros lugares do 3.º Ciclo de Ensino Básico e do Ensino Secundário, respectivamente.

Em média, anualmente, e segundo Elsa Conde, subcomissária do Plano Nacional de Leitura, “mais de três mil alunos têm participado na iniciativa”. Um projeto que começa no mês de outubro de cada ano letivo e onde participam, para além de alunos de escolas nacionais, também instituições estrangeiras que têm ensino do português. “Este ano, tivemos até uma participante de Angola. O leque é muito alargado”, disse Elsa Conde.DSC03307

Para a subcomissária do Plano Nacional de Leitura, existem três premissas fundamentais no projeto: “Fazer da leitura uma festa; propiciar um momento de crescimento e aprendizagem, onde os alunos têm que ler pelo menos seis livros; por último, é preciso ter em conta que este é um concurso feito pelos alunos, com os alunos e para os alunos, que são, junto com os seus professores, as estrelas deste concurso”.

No 3.º CEB juntam-se à vencedora, Francisco Santos, da Escola Secundária Bernardino Machado, da Figueira da Foz, que ficou em segundo lugar; e Inês Filipa Nunes Pereira, da Escola Secundária António Inácio da Cruz, de Grândola, em terceiro lugar. Arrecadaram menções honrosas: Inês Margarida Martins Calmeiro, de Castelo Branco, e Lara Margarida Soares, da Marinha Grande.

Do Ensino Secundário, para além de Mariana Martins em primeiro lugar, Pedro Adriano Castro Cruz, da Escola Básica e Secundária Gomes Teixeira, de Armamar, ficou em segundo lugar; e Inês Louro, da Escola Secundária Inês de Castro, de Alcobaça, ficou em terceiro. Carolina Maria Rodrigues, da Escola Básica e Secundária Pedro da Fonseca, de Proença a Nova, e Ana Beatriz Monteiro, da Escola Secundária Lima de Faria, de Cantanhede, arrecadaram menções honrosas.

Fernando Pinto do Amaral, escritor, garantiu que “o Concurso vai continuar” e que “a descentralização é cada vez mais precisa”. “Temos que dar voz às comunidades e às autarquias, porque as decisões são tomadas com maior asserto quando estão mais próximas da população”, disse ainda.

Teresa Cardoso, presidente da Câmara Municipal de Anadia, na sessão de encerramento, agradeceu aos mentores do Plano Nacional de Leitura “terem confiança no Município de Anadia para esta organização”. “Anadia está focada na promoção da leitura e isso vê-se com o trabalho realizado pela Biblioteca Municipal e Rede de Bibliotecas Escolares”, concluiu a edil.