O último dia da Festame – Feira do Município da Mealhada –, a 18 de junho, ficou marcado pelo “dia seguinte” ao da tragédia de Pedrogão Grande. Por uma questão de “prevenção e operacionalidade” os Bombeiros da Mealhada encerraram a sua “Tasquinha” gastronómica nessa dia. Passado uma semana, a corporação organizou um almoço solidário onde estiveram duzentas e cinquenta pessoas.

“Entendemos – e veio a justificar-se plenamente a decisão – que a prioridade (no dia 18 de junho) tinha de ser a prevenção e a operacionalidade se surgisse o pior”, afirma, em comunicado, Nuno Canilho, presidente da direção da Associação, que garante “no entanto, que daí resultou algum prejuízo, uma vez que todos os bens para que as refeições do dia fossem servidas estavam adquiridos”.19420513_10211636982792734_3067581163492974212_n

Na altura, e segundo o dirigente, a corpação ficou sensibilizada pelo “facto de vários elementos de outras tasquinhas se terem oferecido para se mobilizarem e explorarem a tasquinha por nós – oferecendo o seu trabalho e permitindo que não perdessemos tudo. Agradecemos esse gesto que nos tocou muitíssimo! “.

Assim, e passado uma semana, duzentas e cinquenta pessoas participaram no almoço solidário que tinha um custo de 7,50 euros por pessoa. “E para além destas, muitas quiseram contribuir mesmo não estando no almoço. Foi muito bom…”, referiu Nuno Canilho.

Muitos quiseram também ajudar na confeção, a servir ou com a dádiva de géneros e sobremesas, contribuindo assim para a iniciativa.

 

Imagens: Facebook Carlos Rodrigues