A Câmara Municipal da Mealhada vai promover, nos dias 30 de junho e 1 de julho de 2017, na Quinta da Nora (centro da cidade), o MeaJazz – 1.º FESTIVAL DE JAZZ DA MEALHADA.

Trata-se de um evento cultural pioneiro na Mealhada e na região, de entradas gratuitas, que irá coincidir com o Kids Master Champions, um torneio que promete juntar, no concelho da Mealhada, mais de mil e quinhentos jogadores de futebol de todo o mundo e que terá como patrono Vítor Baía.

O cartaz do MeaJazz inclui artistas/grupos de vários subgéneros de jazz, como dixieland (1910), Swing das Big bands (1930 e 1940), bebop (1940), jazz latino (1950 e 1960) e o jazz de fusão (1970 e 1980), ou seja, há uma oferta que vai do mais “clássico” e tradicional ao mais alternativo: Jeff Davis Trio (Canadá), Andrea Bucko (Eslováquia), The Rite of Trio (Portugal), José Valente (Portugal), Jazz PA (Brasil/Portugal), El Show de Dodó (Espanha) e Orquestra de Jazz de Leiria (Portugal).

“É a primeira vez que promovemos, na Mealhada e até mesmo na Bairrada, um festival de jazz. E, ainda por cima, com entradas completamente livres. Com o cartaz de elevada qualidade que apresentamos, estão reunidas as condições para ser um sucesso”, afirma o presidente da Câmara Municipal da Mealhada, Rui Marqueiro, um melómano e grande fã de jazz e de músicos/compositores que serão recordados neste festival da Mealhada, como Charlie Parker, Bessie Smith, Chet Baker, Count Basie, Duke Ellington, Ella Fitzgerald, Glenn Miller, John Coltrane, Louis Armstrong, Miles Davis ou Nat King Cole.

“Serão mais de seis horas de música, com instrumentistas oriundos de cinco países. No primeiro dia, teremos em palco, entre outros, uma fabulosa pianista e cantora de Bratislava (Eslováquia) e aquele que é o melhor vibrafonista da atualidade a residir em Portugal, o canadiano Jeff Davis. No segundo dia, iremos contar com a presença de um exímio instrumentista de viola d’arco, que fez o seu percurso académico na Áustria, e teremos também um grupo espanhol cujo pianista toca de uma forma extremamente peculiar: usa fruta (laranjas, etc.) e bolas de arte circense para carregar nas teclas do piano. O MeaJazz encerra com uma fabulosa orquestra de vinte músicos do melhor que há em Portugal. A mesma orquestra que tocou recentemente com David Fonseca, Maria João, Herman José, Luísa Sobral, Aurea, Tiago Bettencourt, Pedro Abrunhosa e Ana Bacalhau. Portanto, o cartaz é super apelativo”, afirma Rui Marqueiro.

Para encerrar o festival, a organização tem uma surpresa preparada, que só será revelada no exato momento em que ela estiver para acontecer. “Irão subir ao palco vinte e cinco cantores que se juntarão aos vinte instrumentistas da Orquestra de Jazz de Leiria. Estarão simultaneamente em palco, por isso, quarenta e cinco músicos a tocar/cantar ao mesmo tempo. Será um final em apoteose. E, se tudo correr bem, haverá uma figura pública que irá surpreender o público com uma inesperada performance. Quanto a nomes, não serão revelados até ao momento da surpresa!”, assegura o presidente da Câmara da Mealhada.

Rui Marqueiro lembra que “os comerciantes da Quinta da Nora foram desafiados a puxar pela sua criatividade e a apresentar iniciativas complementares ao festival de jazz, no sentido de tirarem partido deste evento promovido pelo Município”. “A Câmara, com o importantíssimo apoio financeiro do restaurante Rei dos Leitões, que tem estado sempre disponível para colaborar em eventos, está a fazer (mais) um esforço a pensar no superior interesse do comércio local, na dinamização da economia local. Compete também aos comerciantes aproveitar a animação que proporcionamos, puxar pela imaginação, serem proativos e dinamizarem os seus espaços, de modo a atraírem, também por essa via, público. A Câmara faz a sua parte, mas os comerciantes também têm de mostrar interesse, entusiasmo e dedicação”, refere o presidente do Município.

 

Fonte: Câmara da Mealhada