Até ao próximo dia 5 de agosto, está a decorrer o período de receção de trabalhos audiovisuais na Marmostra – I Mostra de Curtas-Metragens da Praia da Tocha, iniciativa promovida pela Associação de Moradores da Praia da Tocha, com o apoio da Junta de Freguesia da Tocha e da Câmara Municipal de Cantanhede.

São admitidas na Mostra obras de ficção, documentário ou animação que tenham como temática central  o mar em todas as suas vertentes, desde os contextos sociológicos com ele relacionados, passando pela sua dimensão económica como fonte de recursos ou como meio propício para atividades de lazer, recreio e desporto. Não são aceites filmes de cariz promocional, político-partidário, bem como os que de algum modo tenham um caráter ofensivo ou conteúdo sexual.

A inscrição é gratuita e deve ser formalizada online, em formulário próprio disponível em www.associacaomoradorespraiatocha.pt ou através do email marmostra.ampt@gmail.com.

Nos termos do regulamento, cada concorrente pode apresentar mais do que um trabalho, sendo de trinta minutos a duração máxima embora a organização admita a possibilidade de selecionar alguns trabalhos com duração superior, sendo analisadas caso a caso.

Por outro lado os participantes “devem garantir que os trabalhos são integralmente da sua autoria” e que “não infringem quaiquer direitos de autor conexos, ou direitos de propriedade de terceiros”. As obras a apresentar devem ser faladas ou legendadas em português e devem ser enviadas em ficheiros com formato MP4, MOV ou AVI, não podendo ultrapassar os quatro “gigabytes”.

Segundo a organização, o objetivo da Marmostra – I Mostra de Curtas-Metragens da Praia da Tocha é promover o conhecimento do Mar e suscitar a reflexão sobre questões da relação com as comunidades costeiras.

O projeto surge na sequência da criação do Centro de Interpretação da Arte-Xávega, espaço vocacionado a fomentar a compreensão das dimensões históricas, sociocultural e etnográfica da atividade piscatória tradicional, ainda bem viva na Praia da Tocha. Além de apetrechos e artefactos usados pelas “companhas” locais da arte-xávega e de paineis informativos sobre a actividade ao longo de décadas, o Centro de Interpretação apresenta exposições de pintura e fotografia, bem como filmes e documentários sobre esta temática.

É neste contexto que a Associação de Moradores da Praia da Tocha pretende contribuir para a dinamização deste equipamento cultural, através da Marmostra, o que de resto se inscreve nos objectivos da sua missão. Fundada em outubro de 1986, a Associação propõe-se “defender os interesses da população, sendo uma voz ativa e interventiva junto das diversas entidades, pugnando pelo bem estar dos residentes e visitantes”, desígnio que inclui a realização de ações e atividades de caráter cultural, recreativo e desportivo.

 

Fonte: Município de Cantanhede