Um “acampamento” promovido pelo Grande Hotel de Luso, atual gestor das Termas da referida vila, está desde o passado sábado, dia 6 de maio, a dar apoio aos peregrinos que passam na cidade da Mealhada, junto à Capela de Sant’Ana, que se situa à beira da antiga Estrada Nacional 1. O ponto forte foram os dias 8 e 9, e na segunda-feira, antes das 10 horas já tinham passado cerca de seiscentas pessoas Muitos deles receberam uma palavra de “força” de Rui Marqueiro, presidente da autarquia.

O repto foi lançado pelo Grande Hotel do Luso, mas depressa outras entidades se associaram… A Santa Casa da Misericórdia da Mealhada “cedeu” o espaço e “abriu” a Capela de Sant’Ana e as instalações sanitárias ali existentes; uma delegação da Cruz de Malta prestou apoio aos níveis físicos e psicológicos; o Colégio Bissaya Barreto, de Coimbra, disponibilizou alunos do curso de Termalismo; a Sociedade da Água de Luso ofereceu as águas; e até a empresa Baptista de Almeida ajudou com o transporte dos materiais necessários.

E quem por ali passou, agradeceu o gesto. “Saímos de Águeda às 2h 45m e até chegarmos aqui não obtivemos este auxílio em parte nenhuma. Isto é muito importante para nós”, disse-nos Américo Ribeiro, de Ermesinde, que até à Mealhada já tinha cem quilómetros feitos.

Américo Ribeiro faz parte de um grupo de doze pessoas e, apesar da preparação física que nos disse ter, garante que este caminho, que faz pela primeira vez, “é duro”. “Mas o balanço é positivo e ao longo destes dias apenas houve um elemento que teve uma lesão”, confessou o peregrino, elogiando a campanha do Grande Hotel, mas também a da Escola Secundária da Mealhada “que nos deu água quando passámos”.DSC02656

“Para além de darmos fruta, água e sandes, o apoio que damos físico e emocional tem sido importante”, declarou, ao «Bairrada Informação», João Dinis, administrador do Grande Hotel de Luso, que acrescentou ainda “estarem a dar um lenço branco alusivo aos cem anos das Aparições que, para além, de tapar do sol, servirá para as cerimónias….”.

“Excelente iniciativa”, disse-nos João Alvelos, presidente da direção da Cruz de Malta em Portugal. “A Mealhada é uma confluência de peregrinos do litoral, norte e interior. É aqui onde os meios se concentram todos. Ter este centro de descanso é fundamental”, elogiou o dirigente, enfatizando o facto da Capela de Sant’Ana ter as portas abertas, “onde são proporcionados momentos de oração”.

João Alvelos não tem dúvidas que o número de peregrinos, em 2017, será muito superior ao dos anos anteriores. “O facto do dia 13 de maio ser um sábado e haver tolerância de ponto no dia anterior, facilita o período de férias. Por outro lado, o bom tempo ajuda!”, explica o dirigente que garante que “dar ânimo e dizer palavras amigas é uma ajuda fundamental para um peregrino e, por isso, temos aqui também um psicólogo”.

Um apoio que termina esta terça-feira. “Hoje (segunda-feira, dia 8 de maio) é o dia grande da peregrinação para quem quer chegar a Fátima até dia 11, quinta-feira. Ontem, durante todo o dia, passaram por aqui cerca de setecentos peregrinos e fizemos tratamento a sessenta. Hoje, ainda não são 10 horas e já vimos passar cerca de setecentos…. o dia vai ser longo…”, concluiu João Alvelos, confessando sentir-se “útil” nesta função.