A edição do “Prémio Joaquim Andrade Ser +”, da Delegação no Concelho da Mealhada da Cruz Vermelha Portuguesa, foi entregue, na noite 29 de abril, ao lusense Júlio Penetra. O “galardão” promove o voluntariado e acontece, há três anos, em altura de aniversário da Delegação que, este ano, festejou trinta e oito anos.

Foi no Jantar de Gala, no Quinta das Muralhas, na Pampilhosa, e na presença de cerca de uma centena de pessoas, que Júlio Penetra, antigo vereador da Câmara Municipal da Mealhada e reconhecido no concelho pelas “boas práticas voluntárias”, recebeu o Prémio promovido pela Cruz Vermelha na Mealhada10660236_1070589726301891_4266967433010230636_n

“Antes de ser um prémio à minha pessoa, é um prémio que homenageia o trabalho voluntário do concelho da Mealhada e que incide sobre a vida social e cultural das pessoas”, disse, ao «Bairrada Informação», Júlio Penetra, que enfatiza ser este um título que presta “reconhecimento a tantas horas de voluntariado, que envolve tantas pessoas e que merece, por isso, todos os elogios”.

Depois de Nuno Canilho em 2016, este ano, o Prémio foi para Júlio Penetra, vice-presidente da direção do Centro Comendador Melo Pimenta no Luso; elemento da comissão alargada da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens do concelho da Mealhada; e ainda elemento do Lions Clube da Mealhada.

No jantar de aniversário estiveram presentes mais de uma centena de pessoas, entre voluntários, socorristas e sócios; o vice-presidente da Câmara Municipal da Mealhada, Guilherme Duarte; a vereadora responsável pelo pelouro da Ação Social, Arminda Martins; o vereador do Ambiente, José Calhoa; presidentes de Juntas de Freguesia e seus representantes; e elementos de associações do concelho e respetivas famílias.

“Instituímos este prémio de prestígio há três anos e está visto que é uma aposta ganha. Não existe, ao redor, mais nenhuma iniciativa idêntica a esta, que premei o voluntariado”, disse Vitor Glória, presidente da Delegação no Concelho da Mealhada da Cruz Vermelha Portuguesa, que acrescentou ainda: “Para além disso, fazemo-lo aquando do aniversário da Delegação, o que é muito importante para nós”.

Balanço de seis meses de mandato “pede” uma nova sede

E Vitor Glória aproveitou a oportunidade para divulgar que, em seis meses, altura em que nova direção tomou posse, “aumentou o número de voluntários na Delegação em trinta e cinco por cento, incidindo, principalmente, sobre a faixa etária dos vinte anos”.

Um crescimento que, segundo o dirigente, tem a desvantagem de “lotar” a sede da Delegação na Pampilhosa. “Estamos num imóvel cedido pela Junta de Freguesia que já é pequeno para a dimensão do trabalho que prestamos”, lamentou Vitor Glória, que garante que estão, neste momento, “a prestar auxílio mensal a quinze famílias carenciadas”.

“Por outro lado, sempre que queremos reunir ou ter formação, temos que nos deslocalizar para outro espaço, que apesar de a Junta ter sempre disponível, é um entrave ao trabalho dos nossos voluntários, que merecem todos os elogios possíveis”, concluiu Vitor Glória.

 

Imagem da Delegação no Concelho da Mealhada da Cruz Vermelha Portuguesa