A Mealhada assinalou os quarenta e três anos do 25 de Abril com uma sessão solene da Assembleia Municipal, uma cerimónia que contou com a visão de três jovens que já nasceram em democracia.

Os três jovens das escolas secundária e profissional do concelho foram os primeiros a intervir numa sessão carregada de simbolismo. Mariana, aluna da Escola Secundária da Mealhada, falou sobre uma sociedade contra a acomodação, contra a xenofobia, a homofobia e a corrupção. “Que a felicidade de todos seja a felicidade de cada um”, citou a jovem.

Por seu turno, Lourenço e Virgílio, alunos moçambicanos que estudam na Escola Profissional Vasconcellos Lebre, relembraram que o 25 de Abril não foi só para o povo português, mas também para as colónias, sendo um ponto de partida para parcerias, como a que possibilita que estudem em Portugal, e a união dos povos. “Atualmente, vivemos os frutos dessa independência”, disse Virgílio José.

Mensagem de Daniela Esteves registada em video pelo «Bairrada Informação»

Os protagonistas políticos sublinharam o significado da “Revolução dos Cravos”. Daniela Esteves, presidente da Assembleia Municipal, apelou a que não se deixe morrer “o espírito do 25 de Abril”, sugerindo que os cidadãos o testemunhem a cada dia.

“Queremos um país onde milhares possam ficar e outros tantos possam regressar”

Em representação do presidente da Câmara, Rui Marqueiro, que se encontra em representação do Município numa missão no Vaticano, em Roma, interveio o vice-presidente da Autarquia, Guilherme Duarte, que falou dos jovens e do quanto o nosso país precisa desta geração. “A liberdade significou uma esperança que veio para ficar”, que é necessária para os jovens, os que emigraram que procuram regressar, “jovens que precisam de sentir que a sua ação cívica é tomada em conta pelas decisões políticas”. “Abril é para os jovens poderem ser portugueses em Portugal”, afirmou o autarca enfatizando: “Queremos um país onde milhares (de jovens) possam ficar e uns tantos possam regressar”.

Intervenção PS

Arminda Martins, líder concelhia do PS, reforçou a ideia de que “liberdade significa responsabilidade”, “uma responsabilidade de respeitar o próximo e a nós próprios”, relembrando ainda o direito que Abril deu aos cidadãos de participarem independentemente de género, diferença, cor, religião ou classe social.

Intervenção na íntegra em: http://www.bairradainformacao.pt/2017/04/26/discurso-ps-na-sessao-solene-na-mealhada-comemorativa-do-25-de-abril/

Intervenção PSD

Já Hugo Silva, em representação da Coligação Juntos Pelo Concelho da Mealhada, destacou os valores da liberdade de expressão e pensamento, liberdade que deve ser transversal a toda a sociedade.

Intervenção na íntegra em: http://www.bairradainformacao.pt/2017/04/26/discurso-psd-na-sessao-solene-na-mealhada-comemorativa-do-25-de-abril/

Intervenção CDU

Por parte da CDU, Isabel Lemos sublinhou a liberdade de criticar, exigir e ter direitos, evidenciando, nesta cerimónia, o direito à paz e o direito à felicidade.

Intervenção na íntegra em: http://www.bairradainformacao.pt/2017/04/25/discurso-cdupcp-na-sessao-solene-na-mealhada-comemorativa-do-25-de-abril/

Programa das cerimónias

As cerimónias incluíram o hastear da bandeira nacional ao som do hino nacional, pela Filarmónica Lyra Barcoucense, uma largada de pombos, pelo Grupo Columbófilo da Mealhada, a deposição de uma coroa de flores junto ao monumento aos mortos em combate no concelho e a exibição de um filme alusivo à Revolução dos Cravos, no Cineteatro Municipal Messias.

 

Fotografia de capa: Mesa – Isabel Lemos, CDU; Guilherme Duarte, vice-presidente da Câmara Municipal da Mealhada; Daniela Esteves, presidente da Assembleia Municipal da Mealhada; Arminda Martins, PS; Hugo Silva, Juntos pelo Concelho da Mealhada; e Mariana, aluna da Escola Secundária da Mealhada

 

Galerias (duas) de fotografias em https://www.facebook.com/bairradainformacao/

 

Texto do «Bairrada Informação» com base em comunicado de imprensa da Câmara da Mealhada