As famosas depressões e ansiedade são duas das patologias que mais motivam a procura da consulta de Medicina Tradicional Chinesa (MTC).

É verdade que, nos dias que correm, a predisposição para desenvolver patologia emocional é maior do que há 2 ou 3 gerações atrás, seja por motivos sociais, profissionais, económicos ou ambientais, o que acontece é um aumento da exigência da sociedade sobre o indivíduo e, consequentemente, dele sobre si mesmo.

Mas as perturbações mentais sempre existiram, pois o Ser Humano é provido de emoções e estas podem, como todo o corpo, sofrer alterações originando doenças que tantas vezes se caracterizam como incontroláveis, porque “na cabeça ninguém manda”!

Na MTC as emoções estão relacionadas com os órgãos, como já referi, aliás, em artigo anterior: “os órgãos e as emoções”. Assim, quando avaliamos um doente com sinais depressivos ou de síndrome ansioso/pânico, é fundamental identificar o “órgão” afectado, para que a escolha dos pontos de acupunctura para tratamento seja correcta.

Mas como explicar que estes pontos, quando picados, possam provocar o relaxamento ou o bem-estar que se sente com os tratamentos de acupunctura?

À vista da MTC, entendendo os seus conceitos e princípios, é fácil perceber que, quando picamos determinado ponto do “fígado”, vamos baixar o seu “yang” e induzir a calma no paciente, ou que, quando picamos aquele ponto do “coração” vamos tonificá-lo e fortalecê-lo, etc, etc, etc.

No ocidente esta explicação não é assim tão lógica, no entanto, a comunidade científica sabe que o tratamento da patologia emocional é dos que mais sucesso tem com a Medicina Chinesa, e deverá ser por isso que a pesquisa neste campo tem vindo a aumentar.

Fisiologicamente, o efeito da acupunctura nos doentes depressivos e/ou ansiosos parece ser explicado, essencialmente, pelo impulso nervoso provocado pela picada da agulha que é conduzido até várias estruturas do Sistema Nervoso Central, provocando libertação de neurotransmissores na corrente sanguínea, como noradrenalina, serotonina, opióides e outros. Estas substâncias produzem efeitos importantes no humor, na memória e aprendizagem, no sono, na indução da excitação física e mental, entre tantos outros efeitos que se pretendem obter no tratamento das patologias depressivas e ansiosas.

É assim que se entende, cientificamente, o efeito benéfico da acupunctura no tratamento da depressão e ansiedade, através da indução do próprio organismo para a produção das neuro substâncias que lhe fazem falta, reduzindo ou eliminando a necessidade da sua ingestão em medicação.

Para mim, nesta área, é importante que a terapia seja feita com acompanhamento paralelo pela Psicologia, pois além da terapêutica fisiológica / energética, há uma série de estratégias a adoptar para um tratamento sólido e eficaz a longo prazo.

 

Paula Gradim

Especialista de Medicina Chinesa