A Câmara da Mealhada terminou o ano de 2016, à semelhança dos dois anos anteriores, sem dívidas.

A declaração obrigatória por lei para todos os municípios (artigo 15, lei nº8 2012, alínea b) pretende Identificar, em declaração emitida para o efeito e de forma individual, todos os pagamentos e recebimentos em atraso existentes a 31 de dezembro do ano anterior. Mais uma vez, à semelhança do que já havia acontecido em 2014 e 2015, pode ler-se, na mesma, que, “à data de 31 de dezembro de 2016, não existiam pagamentos em atraso” no Município da Mealhada.

O rigor financeiro que carateriza este executivo tem sido amplamente reconhecido, nomeadamente pelo Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses que, em novembro de 2016, apontou a Mealhada como líder dos municípios portugueses no que respeita ao índice de dívida total, concluindo o exercício económico de 2015 com zero por cento de dívida a fornecedores e entidades bancárias. Referia também o município como o que apresenta o menor passivo por habitante, com 58,50 euros, quando a média nacional é de setecentos e vinte e cinco euros de passivo por habitante.

 

Fonte: Câmara da Mealhada